ua-tour.net

Zero Plásticos para aterro em 2020

24 Set. 2013
 Plastics Recycling

. Eficiência de recursos significa a proibição da deposição em aterro de resíduos de plástico

Transformar o desperdício num recurso e acabar com a sua deposição nos aterros são elementos-chave para a eficiência dos recursos. Ao prosseguir nesta direção, em breve, a UE irá rever o desvio existente nas metas para os aterros sanitário e, aumentar as metas para a reciclagem. Neste sentido, a PlasticsEurope apoia fortemente a extensão da restrição na Diretiva de Deposição em Aterros dos resíduos de alto poder calorífico, assim como, os resíduos de plástico.

 

.Plásticos são demasiado valiosos para acabarem nos aterros sanitários

O projeto “Zero Plásticos para aterros em 2020” visa ‘reduzir os 10 milhões de toneladas de resíduos de plástico que são depositados em aterros todos os anos na EU, para perto de zero, em oito anos’. O que irá estimular o setor de reciclagem de plásticos, ao disponibilizar mais resíduos de plástico e a recuperação de energia, por último, irá conduzir à criação de mais postos de empregos na Europa. O objetivo de 2020 é conseguir que cerca de 80 milhões de toneladas de resíduos plásticos não acabem no aterro, um montante que representa cerca de 1 bilião de barris de petróleo ou €70 biliões (se um barril = $100 e US $1 = €0,70).

 

. Esta meta é um desafio realista

Enquanto sete Estados- Membros da UE, mais a Noruega ea Suíça, já depositam em aterros menos de 10% dos resíduos plásticos após consumo doméstico, onze Estados-Membros da UE ainda depositam em aterro mais de 60%. O que se traduznum resultado proveniente da má aplicação da legislação europeia existente, continuando a ser a deposição em aterro, a opção mais barata de gestão de resíduos em muitos Estados-Membros.

 

. Todos os Plásticos têm uma segunda vida - no entanto, “o modelo não serve a todos”

Tecnicamente, a maioria dos plásticos podem ser reciclados. Para realizar todo o potencial dos resíduos de plástico, existem diferentes opções de gestão disponíveis; começando pela qualidade de reciclagem enquanto opção mais sustentável. Os plásticos que não podem ser reciclados de forma sustentável, fornecem matéria-prima valiosa a instalações eficientes de energia a partir do desperdício/resíduos para a produção de eletricidade, calor ou recuperação secundária de combustível. A decisão sobre qual o caminho a seguir deve ser baseada em critérios de sustentabilidade, ou seja, tendo em consideração não só aspetos ambientais, mas também, económicos e sociais.

 

 

Mensagens-Chave:  

 

1. Zero resíduos Plásticos depositados em aterro em 2020

A meta de 2020 vai evitar que um número estimado de 80 milhões de toneladas de resíduos plásticos acabem num aterro, um valor que representa cerca de € 70 biliões. A UE e os seus Estados-Membros são incitados a tomar as medidas necessárias para eliminar os aterros sanitários, p.e., através de uma proibição de aterro para resíduos de alto poder calorífico.

 

2. Estimular a reciclagem de qualidade e aumentar a recolha

A recolha e triagem de resíduos de plástico como input para operações de reciclagem são cruciais, tanto do ponto de vista do custo como da qualidade. Para maximizar a disponibilidade de material, os sistemas de recolha devem ser alargados a mais fluxos de resíduos de plásticos, e devem ser harmonizadas a nível da UE.

 

3. Uso eficiente da recuperação de energia

Os resíduos de plásticos que não podem ser reciclados de forma sustentável devem ser usados em instalações eficientes de energia a partir de resíduos. A recuperação de energia a partir desses plásticos amplia a diversidade do aprovisionamento energético da UE, melhora a segurança energética, complementa os esforços de reciclagem em curso e, ajuda a mitigar as mudanças climáticas. Devendo tornar-se uma parte crescente da energia da UE e uma eficiente estratégia de recursos.

 

Fonte: PlasticsEurope, Março de 2013